A necessidade de garantir a saúde mental da população durante a pandemia do novo coronavirus

 

A pandemia causada pelo novo coronavírus afetou substancialmente a saúde emocional da população. Com isso, muitas pessoas sofreram e sofrem com ansiedade, depressão e síndrome do pânico. Tal fenômeno evidenciou outra pandemia: a da saúde mental. Diante disso, surgiu a necessidade de intervenções, por parte do governo e de instituições afins, capazes de mitigar esses problemas.

Por parte do governo, embora o segmento de saúde hospitalar esteja saturado diante das demandas causadas pela Covid-19 (doença decorrente do novo coronavírus), é imprescindível ações de acolhimento e tratamento de pessoas emocionalmente afetadas por esse cenário pandêmico. Assim, o governo tem meios legais, como assegura a própria constituição, para garantir o direito à saúde integral a todos. Do mesmo modo, materializar uma oferta de cuidado psicoterápico que envolva psicólogos, direta ou indiretamente, capazes de assistir pessoas com esse perfil. Ademais, o governo estará evitando novas demandas aos serviços de saúde se o cuidado preventivo for assumido.

No que se refere às ações de instituições afins, destacam-se clínicas, organizações e iniciativas avulsas que oferecem serviços de psicologia online e gratuito. Uma estratégia louvável e que é capaz de cuidar dos casos mais leves dos transtornos de ansiedade, bem como subsidiar os casos mais agudos. Dessa maneira, percebe-se o esforço dessas instituições nesse cenário.

Diante do exposto, é notável a necessidade de promover o cuidado da saúde mental da população. Pessoas emocionalmente bem são capazes de enfrentar a adversidade com maior habilidade e colaborar no processo de superação dessa pandemia, acatando as orientações das autoridades e promovendo ações de solidariedade a outras pessoas que necessitem, de forma a construir uma rede de cuidado.

Osmar Ramos_Psicólogo CRP: 0322237

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *