OS EFEITOS DOS CASTIGOS FÍSICOS NA EDUCAÇÃO DOS FILHOS

 

 

Violência, educação fracassada, pais desinformados, filhos adoecidos

 

Já é sabido pela sociedade que os castigos físicos no processo educativo das crianças é um ato extremamente repudiado, legalmente proibido e moralmente incorreto.

    No entanto, essa prática infelizmente ainda persiste por alguns “responsáveis”. Diante disso, vale ressaltar e refletir sobre os efeitos psicológicos negativos de uma falsa educação promovida pelos pais ou responsáveis. Dentre eles, destacam-se: a depressão e a agressividade. Embora sejam características opostas, podem surgir de um mesmo contexto de violência.

   A respeito da depressão, segundo o Manual de Diagnóstico de Saúde 5ª edição (DMS V), trata-se de um quadro variado no qual há uma persistência de desanimo e falta de interesse. Tal transtorno também tem relação com os maus tratos que os adultos sofreram na infância. Essa premissa é comprovada por uma pesquisa da Universidade de Ribeirão Preto. Assim, o desequilíbrio na forma de educar é um fator de adoecimento para as crianças.

 

Referêncais: 
https://memoria.ebc.com.br/infantil/para-pais/2014/08/estresse-na-infancia-pode-agravar-depressao-na-vida-adulta-diz-pesquisa#:~:text=Trabalhos%20feitos%20pelo%20pesquisador%20apontam,de%20reca%C3%ADda%20e%20de%20comorbidade.   

O incrível trabalho voluntário dos psicólogos durante a Pandemia de Coronavírus

A cada dia que passa a psicologia se reinventa, adapta-se e evolui, assim está sendo no combate à Covid-19. Nesse perspectiva, o trabalho da psicologia dá prova real no cenário de pandemia que acomete praticamente o mundo inteiro. No Brasil, os(as) psicólogos(as) deram uma resposta quase que imediata, a partir do momento que sugiram demandas de ordem psicológica decorrente principalmente do excesso de notícias ruins e do período de confinamento.