Dicas de Como controlar a compulsão alimentar

Quando está feliz, você comemora com um docinho, mesmo que ele não seja nem tão maravilhoso assim? Devora um pacote de batatinhas ou um pote de sorvete quando está estressada ou deprimida? Se você faz isso, há chances de que você tenha uma relação emocional com a comida.

Não é nada incomum usar a comida para domar sentimentos. Aprendemos essa ligação antes mesmo de aprender a falar, já que a reação mais comum ao choro do bebê é dar comida. Assim, desde muito cedo, a comida se transforma em um mecanismo de conforto psicológico.

Existem alimentos que realmente provocam a sensação de bem-estar, ao ativar neurotransmissores que atuam no cérebro.

O problema é que o cérebro leva cerca de 20 minutos para perceber que seu estômago já está cheio. E, nesse intervalo, o que começou como sensação gostosa pode muito bem terminar com uma sensação de estufamento, indigestão e fadiga mental. É o que acontece quando, no entusiasmo da emoção, você devora três fatias daquele bolo de chocolate que lembra a sua infância, e depois só de pensar nele tem vontade de vomitar.

E para evitar tudo isso tem solução? O BabyCenter mostra a seguir como.

Faça um diário do que come e do que sente

Comer pode até distrair você das preocupações, mas só funciona naquela hora. Os problemas voltam, e vão continuar incomodando você enquanto não encontrar um modo mais permanente de lidar com eles.

Para quebrar esse círculo vicioso, você precisa identificar quais emoções mais ativam sua gula. Experimente, por alguns dias, anotar tudo que comeu e o que estava sentindo antes, durante e depois de comer. Você estava mesmo com fome ou apenas com tédio? Estava contente ou triste?

Depois de alguns dias fazendo isso, você terá uma boa ideia de quais sentimentos e emoções mandam você direto para a geladeira ou para a lanchonete. Escrever também ajuda você a ter um tempinho para pensar se está mesmo com fome ou se está só buscando conforto.

Planeje sua alimentação

Em vez de depender de um sinal físico ou emocional para comer, procure se alimentar antes mesmo de ficar com fome. Planeje, de antemão, quatro a seis pequenas refeições saudáveis por dia, com uma boa mistura de proteínas, grãos integrais, verduras, legumes, frutas e castanhas. Assim fica mais fácil se segurar até a próxima refeição.

Outra dica é procurar se distrair com atividade física moderada. Um estudo com pessoas acostumadas a beliscar durante o dia demonstrou que aquelas se levantaram e caminharam por cinco minutos nos momentos de “fissura” por comer foram menos propensas a comer chocolate se comparadas com aquelas que permaneceram sentadas em suas mesas.

Segundo especialistas, caminhar ajuda a elevar o nível de serotonina no corpo e deixa a pessoa menos ansiosa.

Permita-se também distrações que dão um alívio rápido ao estresse e que não estejam relacionadas a comer. Pode ser brincar com o cachorro, assistir a um vídeo antigo e fofo do seu filho, ouvir uma das suas músicas favoritas, fazer um exercício de meditação ou alongamento e até escrever para uma amiga.

A ideia é tentar retreinar o cérebro a satisfazer suas necessidades sem comida.

Estratégias para combater a compulsão alimentar

  • Antes de colocar qualquer coisa na boca, anote. Só isso já fará que você vá mais devagar e pense se realmente está com fome.
  • Use tigelas e pratos pequenos.
  • Divida alimentos prontos em porções menores. Por exemplo, em vez de comer um pacote de pão de queijo inteiro, separe alguns para comer e congele o resto.
  • Sempre guarde os alimentos mais tentadores (se realmente não conseguir/puder evitar de comprá-los) fora da vista ou em lugares mais chatos de pegar, como na prateleira mais alta.
  • Se uma guloseima é irresistível demais, melhor mesmo é não tê-la em casa. Não se exponha a coisas de que não consegue resistir.
  • Congele sobras imediatamente. Se sobrou uma pizza quase inteira, embale bem e guarde no freezer. Assim vai dar mais trabalho para descongelar e você não sente que “precisa” comer a sobra para não desperdiçar.
  • Permita-se consumir algo que ama em pequenas quantidades (dois quadradrinhos de chocolate, por exemplo), antes que bata aquela vontade de exagerar e de “chutar o balde”, devorando tudo.
  • Deixe a geladeira e o armário estocados com lanchinhos saudáveis e gostosos, como frutas frescas e castanhas, palitos de cenoura ou de queijo, pasta de homus ou de ricota com ervas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *